Apresentam primeira fase da Rede Progresso Social Brasil

 

progreso-social-brasil
Rede Social Progress Brasil reuniu recentemente 15 membros e organizações especiais convidados para apresentar uma proposta com base em indicadores, oportunidades e desafios que servam ao planejamento estratégico, formação de parcerias multi-sectoriais para promover estes indicadores e rastreamento de interesse público nas cidades brasileiras que ganham novos gestores a partir de 2017.

Gláucia Barros da Fundación Avina,organização que agora coordena a Plataforma de Inovação com Sentido,contou a história do Índice de Progresso Social e do engajamento da Fundación Avina desse o surgimento do índice, ressaltando que Avina é parceria global do Social Progress Imperative com forte atuação na América Latina. Seguiu-se um reporte dos principais projetos conduzidos no Brasil e nos demais países da América do Sul em que Avina atua diretamente com o Índice de Progresso Social, com destaque para Argentina, Colômbia e Peru.

Marcelo Mosaner, Fundación Avina, e Paulo Seifer, UFABC e membro da rede Progresso Social Brasil, apresentaram os resultados da primeira fase do projeto IPS Município, referente ao levantamento da base inicial de indicadores.

A Rede de Progreso Social Brasil está planejando calcular do IPS para os 5.570 municípios brasileiros.

Uma breve apresentação das últimas estimativas de população IBGE para municípios, com ênfase na  heterogeneidade da malha: mais de um quinto dos municípios tem menos de 5 mil habitantes e 43.9% dos municípios tem menos de 10 mil habitantes, ao passo que os 41 municípios com mais de 500 mil habitantes concentram cerca de 30% da população.

Essa introdução foi usada para mostrar os desafios em termos de estimar populações e subgrupos e encontrar indicadores válidos para municípios de portes tão distintos.

Gabriel Baracatt, Fundación Avina, aportou a questão das diferentes funções do IPS : fornecer uma fotografia da região, que pode avançar para uma radiografia e então para um eco-cardiograma, ou seja, as ferramentas são contínuanente melhoradas, mas o importante é ter clareza sobre a quantidade de capital social necessário para promover mudanças sociais. Lembra a importância de pensarmos em quais indicadores de direitos políticos utilizar, que indicadores de fato podem refletir a qualidade da escolha dos representantes eleitos no país.  Em Tolerância e Inclusão faltariam indicadores para povos indígenas e para Imigrantes, com ênfase em imigração internacional.

O proceso da consulta à  rede y outros expertos do país segue até 16 de janeiro simultaneamente à busca de aliados financiadores para o estudo que tem o prazo de conclusão previsto para 4 meses depois desta etapa.

Compartir en FacebookCompartir en TwitterCompartir en Google+

Noticias Relacionadas



The shortcode doesn't contain any grid name