Brasil: Plataforma VozAtiva permite “match” entre eleitores e candidaturas à Câmara

 


As eleições de 2018 são um desafio para a democracia. Apenas para a Câmara dos Deputados serão mais de oito mil candidaturas. Muitas delas de parlamentares que tentam a reeleição. É a concorrência mais alta desde 1994. Neste cenário, onde buscar informação confiável sobre as propostas eleitorais das candidaturas? E como obter referências precisas sobre a atuação legislativa de quem tenta a reeleição?

A VozAtiva é uma plataforma digital de democracia colaborativa que convida candidatos a deputado federal de 26 Estados e do Distrito Federal a responderem perguntas sobre cinco eixos: meio ambiente, direitos humanos, integridade e transparência, nova economia e transversal. Os eleitores e eleitoras, por sua vez, poderão navegar no aplicativo desde 10 de setembro em busca de representante mais alinhado com suas preferências e com atuação anterior coerente com as propostas para a nova candidatura.

Foram enviados formulários com 46 perguntas para os e-mails de todos os candidatos à Câmara Federal. Na primeira semana de setembro os eleitores vão ter acesso à plataforma do VozAtiva e poderão responder o mesmo questionário. O match será dado pelo alinhamento de posições entre candidatos e eleitores nos temas abordados nos referidos eixos.

A plataforma VozAtiva foi criada por uma rede de advocacy formada por cerca de 30 organizações da sociedade civil e operacionalizada pela OSC Dado Capital, em parceria com a Universidade Federal de Campina Grande – UFCG. A rede tem o propósito de aumentar e qualificar a participação social no processo eleitoral e na próxima legislatura, aliando ciência de dados e inteligência regulatória. O foco principal é auxiliar os eleitores na sua decisão de voto a partir de temas de fundamental importância para o Brasil.

A Fundación Avina é uma das articuladoras desta rede de advocacy pela Agenda Brasil Sustentável (ABS) e está impulsionando a iniciativa.

Para Glaucia Barros, diretora da Avina no Brasil, é um “primeiro passo importante no restabelecimento do diálogo com o parlamento brasileiro e que permitirá mais agilidade de incidência das organizações da sociedade civil na esfera pública”. Os passos seguintes, segundo Glaucia, são rastrear posicionamentos e interesses dos novos parlamentares em relação aos 4 temas da ABS e oferecer às organizações uma rota tipo waze dos processos parlamentares, por meio de um mapa mais objetivo das necessidades de convencimento dos políticos acerca dos processos defendidos na Agenda Brasil Sustentável.

Principais parceiros

ClimaInfo, Conectas, Engajamundo, Fundación Avina, GIFE, ICE, Idesam, Impact Hub, Inesc, InPacto, Cidade Escola Aprendiz, Instituto Clima e Sociedade, Instituto Ethos, Instituto Terroá, Observatório do Clima, Sistema B, Transparência Internacional, Update Politics

Compartir en FacebookCompartir en TwitterCompartir en Google+

Noticias Relacionadas



The shortcode doesn't contain any grid name