ActionLAC acelera a ação climática na América Latina

 

Captura de pantalla 2017-04-20 a las 15.51.32

 

Com o Acordo de Paris em vigência, o principal desafio em governança climática global é garantir o cumprimento dos compromissos assumidos pelos países em suas Contribuições Nacionalmente Determinadas (NDC, pela sigla em inglês) relacionados à mitigação e adaptação às mudanças climáticas.

Nesse sentido, há um reconhecimento geral ao papel de atores não estatais e subnacionais (cidades, empresas, sociedade civil) para cumprir o Acordo de Paris, mas também existe o entendimento de que as capacidades de ação de atores do Norte e do Sul são diferentes.

A ActionLAC, uma plataforma coordenada pela Fundación Avina, atua durante o ciclo completo de vida de ações climáticas e apoia diversos atores nas principais etapas de uma iniciativa, buscando acelerar a ação climática na América Latina ao conectar o papel de atores não estatais e as Contribuições Nacionais.

Em seu primeiro ano, a ActionLAC acelerou a execução da Declaração Latino-Americana pelo Acesso a Água por meio de atividades de monitoramento das metas e um fundo de apoio a cinco projetos inovadores. Também acompanhou a estratégia da Rede Argentina de Municípios para as Mudanças Climáticas (RAMCC) para que 110 municípios fortaleçam sua ação climática e 25 apresentem metas de ação climática como contribuições para a revisão da Contribuição Nacional da Argentina. A revisão da NDC da Argentina foi participativa e a RAMCC coordenou o envio de contribuições de municípios, o que gerou um dos primeiros precedentes no mundo de como a ação de atores não estatais  fortalece as NDC.

Países impactados: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Costa Rica, Equador, Paraguai

Principais parceiros:

Argentina: Federação de Cooperativas Eléctricas e de Obras e Serviços Públicos da Província de Córdoba, Federação Missionária de Cooperativas de Agua Potável, Rede Argentina de Municípios frente às Mudanças Climáticas, SedCero

Global: Galvanizing the Groundswell of Climate Action (GGCA)

Regional: Confederação Latino-Americana de Organizações Comunitárias de Água e Saneamento (CLOCSAS)

Bolívia: Governo Autônomo Estadual de Tarija, Red Paz Integración y Desarrollo

Brasil: Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), Centro de Estudos Avançados de Promoção Social e Ambiental (CEAPS), Engajamundo, LabGEA, Saúde e Alegria, SISAR

Chile: Advanced Innovation Center (AIC), Federação Nacional de Cooperativas de Serviços Sanitários (FESAN), Fundação Un Alto en el Desierto

Costa Rica: Nectandra

Equador: Centro de Apoio à Gestão Rural de Água Potável (CENAGRAP), Rede de Organizações Sociais e Comunitárias na Gestão de Água do Equador (ROSCGAE)

Paraguai: Fundação Moisés Bertoni

Olhe para o Relatório Anual completo 2016 aqui.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no Google+