Chile elabora sua política energética de maneira participativa

 

shutterstock_91743425Durante 2014, a Oportunidade de Impacto Energia da Avina conseguiu incidir nas decisões políticas do governo do Chile, que decidiu criar uma política energética para 2050 e convocou diferentes atores interessados: empresas, sociedade civil, universidades, associações de consumidores, entre outros. A iniciativa, chamada Energia 2050, utilizou o trabalho desenvolvido pela Avina e seus parceiros nos últimos cinco anos na Plataforma Cenários Energéticos Chile 2030   (EE2030). Assim, o trabalho realizado foi reconhecido como uma fonte de inspiração para conduzir um processo de caráter técnico-político que gerará uma política pública de longo alcance para o país em matéria de desenvolvimento energético, pois o valor de elaborar uma política baseada em processos colaborativos foi reconhecido.

A iniciativa Energia 2050 busca construir uma visão comum para o desenvolvimento futuro do setor energético com a validação social, política e técnica necessária para se transformar na política energética de governo que o Chile precisa.

O Comitê Consultivo, formado pelo Ministro da Energia do Chile, reúne atores fundamentais dos setores público e privado, da sociedade civil, do mundo acadêmico e de diferentes regiões do país.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no Google+